Estima

Explicamos o que é autoestima, suas características e como melhorá-la. Além disso, como é alguém com alta ou baixa autoestima.

A autoestima é um conceito psicológico desenvolvido a partir das emoções.

O que é auto-estima?

Autoestima é a avaliação que uma pessoa faz de si mesma e que pode ser positiva ou negativa . É um conceito psicológico que se desenvolve com base nas emoções e não em questões racionais. A construção da autoestima está relacionada à aceitação ou não do próprio indivíduo, seu modo de ser, seu caráter, seus traços físicos e seu estilo de vida.

É composto por um conjunto de fatores subjetivos, como emoções e julgamentos de valor , que podem ser feitos pelo indivíduo ou podem surgir de influências e preconceitos do meio em que vive.

O ambiente familiar, educacional, de trabalho e social, junto com a mídia, tendem a promover estereótipos e padrões que condicionam a vida de todas as pessoas e também influenciam a concepção de autoestima, ou seja, na avaliação que uma pessoa se formula.

Veja também: Superdotado

Características de autoestima

A autoestima é caracterizada por se manif>diferentes níveis de autoestima podem coexistir na mesma pessoa, dependendo da área em que atua. Por exemplo: Uma pessoa pode se sentir muito segura e bem-sucedida no trabalho e, ao mesmo tempo, muito infeliz ou insatisfeita nas relações afetivas.

Essa percepção que o indivíduo tem de si mesmo é um aspecto muito importante para manter uma saúde psicológica adequada . Os níveis de baixa ou alta autoestima que se perpetuam ao longo do tempo podem desencadear depressão e transtornos de ansiedade, respectivamente. Ambas as alterações, que podem ser exageradas, afetam também o corpo. Nesses casos, é necessário o apoio de um profissional.

Níveis de autoestima

Uma pessoa com alta autoestima se sente segura para falar em público.

Os níveis de autoestima podem variar de positivo ou alto a negativo ou baixo.

Uma pessoa com alta autoestima é caracterizada por:

  • Tenha confiança em si mesmo para se dirigir ou falar com outros estranhos ou na frente de um grande público.
  • Ter uma atitude mais positiva perante a vida e, principalmente, perante as adversidades.
  • Tome suas próprias decisões sem esperar a aprovação de outras pessoas.
  • Aceite-se sem ser condicionado pelas opiniões dos outros.
  • Não sendo facilmente manipulado .
  • Seja mais compassivo consigo mesmo diante de um erro ou falha.
  • Seja mais empático com as outras pessoas, entendendo seus sentimentos e formas de pensar.
  • Esforcese para atingir seus objetivos.
  • Tenha força para expressar suas emoções e sentimentos sem vergonha.
  • Estabeleça limites ou diga não, quando sentir ou considerar necessário.

Uma pessoa com baixa autoestima é caracterizada por:

  • Ser muito tímido ao falar com outra pessoa e, principalmente, ao falar na frente de um grande grupo.
  • Tenha uma atitude pessimista em relação à vida.
  • Condicione suas próprias decisões com base no que os outros pensam ou esperam.
  • Tem dificuldade em se aceitar .
  • Seja mais influenciado ou permeável à manipulação de outras pessoas.
  • Tem uma personalidade séria que não se adapta facilmente a piadas e até se ofende com elas.
  • Seja menos empática com os outros, pois ela está muito submersa em suas emoções de medo, insegurança e desconfiança.
  • Facilmente desanimado ao primeiro obstáculo que surgir em seu caminho.
  • Ter vergonha e medo de expressar suas emoções e sentimentos.
  • Ter dificuldade em estabelecer limites ou dizer não, quando sentir ou considerar necessário.

Como melhorar a autoestima?

Melhorar a auto-estima é um processo que requer tempo, paciência e exercícios mentais.

A baixa autoestima pode ser melhorada: o primeiro passo é reconhecê-la e o segundo passo é pedir ajuda a um familiar, a um amigo e, principalmente, a um profissional especializado em psicologia.

Os conceitos e estruturas que o indivíduo adquire desde a infância e juventude condicionam a forma de pensar e perceber o mundo, consequentemente, condicionam a personalidade do indivíduo e a forma de se valorizar. Romper com certas estruturas ultrapassadas permite compreender as emoções da pessoa e fortalecer sua autoestima.

Melhorar a autoestima é um processo que requer tempo, paciência e exercício mental para mudar a perspectiva com que a vida é percebida, ou seja, esforçar-se para enxergar o lado positivo da realidade, até que ela flua com naturalidade e sem esforço.

Nenhum dos extremos é saudável: uma auto-estima exageradamente elevada pode significar uma distorção da percepção que o indivíduo tem de si mesmo. Ao contrário, uma auto-estima altamente desacreditada pode significar um transtorno depressivo que requer ajuda profissional para recuperar o equilíbrio mental e emocional.

Segundo o psicólogo americano Abraham Maslow (1908 – 1970), desenvolver uma autoestima equilibrada nos permite alcançar a autorrealização e uma vida plena.

Maslow formulou a teoria da ” motivação humana” que explica que, conforme as pessoas satisfazem suas necessidades, elas desenvolvem novas necessidades e desejos. Por isso, a autoestima pode variar ao longo da vida e manter o equilíbrio é um exercício constante.

Siga com: Dignidade

Leave a Reply