Poder Executivo

Explicamos o que é o Poder Executivo, quem o constitui e quais são as suas limitações. Além disso, suas características e importância.

O Poder Executivo é responsável pela liderança política do Estado.

O que é o Poder Executivo?

O poder executivo ou o poder administrativo é denominado um dos ramos do poder público tradicional , ou seja, um dos poderes atribuídos ao Estado moderno. Os outros dois poderes do Estado são:

Ao contrário deles, o Poder Executivo é responsável pela direção política do Estado , sua representação diplomática e tomada de decisões em questões estratégicas, militares e democráticas. Opera como administrador e executor da vontade popular que representa.

Veja também: Semi-presidencialismo

Origem do poder executivo

O executivo como uma potência independente surge após a Revolução Francesa de 1789.

O Poder Executivo é uma das primeiras formas de governo da história . Os regimes da antiguidade eram principalmente monárquicos ou despóticos.

Eles consistiam em um único grande poder executivo nas mãos de um governante , geralmente algum tipo de monarca (rei, sultão, imperador, etc.). Nesta figura caiu o poder mais ou menos absoluto da nação . Sua palavra era lei, visto que geralmente se considerava que ele estava no trono por desígnio divino. Os reis exerceram todas as funções do Estado neste tipo de regimes absolutistas .

Por outro lado, o executivo como potência independente surge após a Revolução Francesa de 1789 e o fim do Antigo Regime. A República moderna substituiu o absolutismo dos reis por assembleias ou congressos de eleições públicas, criando a divisão de poderes.

O poder executivo a partir daquele momento também foi acompanhado por juízes indicados pelas assembleias . Desta forma, o surgimento de despotismos foi evitado .

Quem compõe o Poder Executivo?

Os diversos ministérios de interesse do Estado fazem parte do poder executivo.

O poder executivo é composto por todas as instâncias políticas do Estado:

  • Presidência da República (em regimes presidencialistas) ou Chefe de Estado (em regimes parlamentares).
  • Os diferentes ministérios que compõem cada setor de interesse do Estado, como economia , segurança, saúde, educação , relações exteriores, etc.

Quem exerce o poder executivo?

O poder executivo é normalmente exercido pelo chefe de Estado , que pode ser um presidente (ou um vice-presidente, na sua ausência) ou um primeiro-ministro, chanceler ou cargo semelhante.

A constituição que rege o sistema de governo de cada país especifica os limites e as condições de cada caso. Além disso, estabelece o protocolo a seguir caso as referidas figuras estejam ausentes , indisponíveis ou inacessíveis.

Como o Poder Executivo é renovado?

Em países democráticos, aqueles que ocupam o poder executivo são eleitos por voto.

A forma de renovar o poder executivo, em regimes democráticos, é a eleição popular. Pode ser:

  • Direto  É eleita a pessoa que ocupará o cargo.
  • Indireto.  São escolhidos aqueles que vão eleger quem vai ocupar o cargo.

Em países democráticos , geralmente é a vontade popular que se encarrega de atribuir esse poder , como é o caso do legislativo.

Já em regimes autoritários ou totalitários , o executivo pode ser sucessor, ou seja, é transmitido de pais para filhos . Ou ele pode ser eleito por uma assembleia do partido, geralmente composta pela liderança política da facção dominante.

Quais são suas limitações?

Como todo poder público, o Executivo exige limitações para que o Estado mantenha o equilíbrio e a democracia seja preservada. Nesse sentido, está sujeito às leis emanadas do poder legislativo.

Essa limitação é mútua, pois em alguns casos o executivo também tem poder de veto se considerar que uma lei é injusta ou contraproducente. Por outro lado, as decisões dos Supremos Tribunais de Justiça são irrecorríveis até mesmo para o Executivo, que deve se submeter a elas.

Um presidente ou primeiro-ministro pode ser destituído legalmente pelo parlamento ou pelos tribunais da República. Não há como neutralizar o procedimento administrativo ou judicial contra você.

Funções do Poder Executivo

As funções administrativas incluem gerenciamento de orçamento.

O executivo responde a dois grupos de funções primárias:

  • Funções políticas. Aquelas que implicam o direcionamento da sociedade na sua concertação e diferenciação, para a satisfação das suas necessidades da melhor forma, bem como nas suas relações com outras nações ou em situações imprevistas.
  • Funções administrativas. Funções de manutenção do Estado, sujeitas à lei, e que permitam a sua duração no tempo e a eficácia das funções. A gestão envolve a gestão de orçamentos , desenho logístico, planos de implementação, etc.

Por que o ramo executivo é importante?

O Poder Executivo é o chefe visível dos Estados . Habitualmente é responsável pela tomada de decisões estratégicas, tendo sempre o Legislativo e o Judiciário como contrapesos e auxiliares, em prol do equilíbrio democrático e republicano.

Um estado sem executivo é considerado “vácuo de poder” , ou seja, sem cabeça, sem motorista para planejar o percurso. No entanto, o Executivo pode ser exercido temporariamente por outras instituições, como o Legislativo, em momentos críticos, que normalmente não duram muito.

Ministérios

Cada ministro lida com uma área específica do estado, como a economia.

O presidente ou primeiro-ministro delega parte da tomada de decisões aos ministros. Cada um deles trata de temas de uma área específica : saúde, economia, relações exteriores, etc.

Os ministérios funcionam como instituições burocráticas, formais e hierárquicas , nas quais as políticas públicas da nação são organizadas e executadas. Pode haver quantos ministérios forem necessários. Os ministros são geralmente nomeados e destituídos por vontade do chefe de estado.

Ditadura ou autocracia

As autocracias ou ditaduras são principalmente quando o Poder Executivo usurpando as funções dos outros ramos ou paralisa, faz a sua causa ou submete à força. Para isso, costumam recorrer às Forças Armadas ou outras organizações militares ou paramilitares.

Nestes casos, o Estado está completamente desequilibrado . O poder executivo passa a governar todos os aspectos da nação, o que sempre tem consequências terríveis para a vida republicana.

Seguir em: Ditadura

A separação de poderes

As funções especializadas do estado nasceram com os ensaios de Montesquieu.

A separação dos poderes públicos data da democracia direta ateniense , que existia na Grécia Antiga (século VI aC). Posteriormente, foi replicado na Constituição inicial da República Romana. Coexistiram vários juízes de eleição popular ou aleatória.

No entanto, as funções especializadas dentro do Estado nasceram muito mais tarde , com os ensaios políticos de Montesquieu e Locke na Idade Moderna . Essa ideia foi posta em prática em algumas monarquias parlamentares . Após a queda do Antigo Regime, foi implantado nas repúblicas.

Leave a Reply