Monoteísmo

Explicamos o que é uma religião monoteísta e quais são suas características. Além disso, por que é importante e suas características distintivas.

Monoteísmo é a crença de um deus verdadeiro.

O que é monoteísmo?

O monoteísmo é chamado de crença religiosa em um deus único e indivisível . Nisso difere do politeísmo, que é a crença de que existem vários deuses ou que deus pode existir como entidades diferentes. Também se distingue do panteísmo , que atribui um deus ou vários deuses a cada uma das manifestações da natureza.

Para o monoteísmo, seu deus é o único possível, ou o único verdadeiro . Por isso, muitos conflitos de guerra foram justificados por meio das grandes religiões que se associaram a centros de poder na Europa , Ásia ou Oriente Médio . O inimigo se identificava com a cultura que negava o Deus que a própria religião adorava.

Veja também: cultura judaica

Quando o monoteísmo se originou?

Os registros que existem de religiões pré-históricas parecem apontar para crenças politeístas.

Portanto, o primeiro registro de uma religião claramente monoteísta vem do Judaísmo .

Estima-se que começou a se desenvolver como religião no século 19 aC, na época do patriarca Abraão .

Já no século 10 aC, há evidências do povo judeu organizado não apenas por meio da religião, mas também por meio de várias tradições.

Perspectiva monoteísta

Deus é o guia moral e espiritual da humanidade.

Nas religiões monoteístas, Deus é o criador de todas as coisas e responsável pela manutenção do universo . É entendida como uma entidade única, indivisível, espécie (embora estrita) e acima de tudo singular, insubstituível.

Ele é o guia moral e espiritual da humanidade . Além de ser seu criador, considera-o acima do resto de suas criaturas, por isso exige a adesão a certos códigos de conduta e certas formas de veneração. Ele geralmente é entendido como um deus pai, com tudo o que isso implica em questões de autoridade e afeto.

O deus monoteísta é uma entidade sagrada, inalcançável, total e eterna . Tudo está em suas mãos e ele tudo observa. Geralmente suas decisões e mandatos são entendidos como um mistério divino, um enigma indecifrável para a mente humana, mas que carrega uma ordem superior.

judaísmo

O judaísmo também é uma tradição cultural, ligada a uma etnia.

O Judaísmo foi a primeira das religiões aberta e claramente monoteísta . Ele afirma que existe um Deus único, supremo e eterno comprometido com o povo judeu, sendo este o seu favorito.

De acordo com o Tanach (equivalente ao Antigo Testamento da Bíblia ), a aliança entre Deus e os judeus foi selada na antiguidade . É representado na tradição judaica pela circuncisão de todos os homens. Essa aliança é sustentada nos dez mandamentos que foram revelados ao profeta Moisés no Monte Sinai.

Ao contrário de outras religiões monoteístas, o judaísmo também é uma tradição cultural e está ligado à história de uma etnia, a hebraica. Ao contrário de outras tradições monoteístas, o povo judeu nunca exigiu a conversão de outros, embora trate com total aceitação aqueles que optam por se juntar a eles.

Siga em: Judaísmo

cristandade

O único Deus do Cristianismo possui habilidades como a bondade amorosa.

O Cristianismo herdou das escrituras do Judaísmo. Com base neles, ele afirma que Jesus de Nazaré é o messias, o filho de Deus na terra , que ao morrer foi levado ao reino dos céus por Deus pai.

Esta nova aliança entre Deus e a humanidade foi selada em nome de Jesus Cristo e seu sacrifício. O Deus único do Cristianismo possui novas habilidades, como benevolência, generosidade, perdão.

Ele confiou à humanidade as grandes virtudes cristãs, que devem ser comunicadas através da evangelização aos outros povos do mundo. Sobre isso, de acordo com o Cristianismo, sua salvação dependerá do dia do Juízo Final.

Na opinião de seus detratores, a Santíssima Trindade (pai, filho e espírito santo) é uma forma de politeísmo encoberto. Porém, dentro do credo cristão, a multiplicidade e ao mesmo tempo a unidade de Deus é um mistério sagrado que de forma alguma nega que Deus é um e único.

O Cristianismo sempre condenou a adoração de ídolos e falsos deuses . No entanto, os usos e costumes de seus fiéis incluem adorar e até mesmo dedicar orações a um dos muitos membros dos santos católicos.

Mais em: Jesus

Islamismo

Para o Islã, a oração a Deus deve ser direta, sem intermediários.

A religião muçulmana, também chamada de islamismo ou islamismo , é a terceira das religiões abraâmicas junto com o judaísmo e o cristianismo. Afirma que Allah, o único e todo-poderoso Deus, deve ser reverenciado pela humanidade interna e externamente.

A adoração pode ser feita por meio de atos internos ao paroquiano , como generosidade, esperança, sinceridade e reverência. Por outro lado, também pode ser feito por meio de atos externos de adoração, como peregrinação, jejum, esmola e profissão de fé.

Para o Islã, a oração a Deus deve ser direta, sem intermediários , e ninguém deve ser adorado a não ser ele. É por isso que você não pode orar aos profetas, ou aos santos, ou a qualquer outra pessoa que não seja o próprio Deus.

Zoroastrismo

O faravahar é o principal símbolo do Zoroastrismo.

Zoroastrianismo ou Mazdeism é uma religião iraniana que acredita em um único Deus chamado Ahura Mazda . Esta divindade é onipotente e onisciente, mas sem forma, abstrata e transcendente, portanto, não pode ser representada por forma ou figura.

Este Deus é o criador de tudo e o único destino do que existe . Seu grande profeta persa foi Ferdowsi, que o descreveu no Saname , o livro sagrado da religião.

Características distintas

O monoteísmo, como tendência religiosa, é caracterizado por ser:

  • Exclusivo dos outros cultos, visto que o próprio Deus é o único verdadeiro.
  • Misterioso em suas explicações, pois tudo o que existe, bom ou mau, é devido a Deus.
  • Exigente em seus códigos de conduta e religiosidade, pois venera um Deus castigador, controlador ou juiz dos humanos .

Importância social

Os povos monoteístas se uniram em torno de sua fé única.

A ascensão do monoteísmo nas comunidades antigas provavelmente serviu para unificar a população em torno de um culto comum . Por sua vez, isso poderia se traduzir em uma autoridade comum e uma identidade compartilhada.

Os povos monoteístas se uniram em torno de sua fé única e a usaram para se reconhecer , para travar guerra contra seus inimigos e para se mobilizar coletivamente. Em vez disso, o politeísmo permite a veneração de diferentes deuses e também a inclusão de deuses de outras culturas.

Diferenças com politeísmo

A diferença entre monoteísmo e politeísmo transcende o mero fato de quantos deuses existem. Na verdade, o monoteísmo é comumente considerado uma forma religiosa posterior ou mais elaborada do que o politeísmo, mas não há nenhuma evidência real para apoiar tal afirmação.

Em geral, nos segmentos filosóficos em que funciona o monoteísmo, o politeísmo não funciona e vice-versa. Por exemplo, o politeísmo pode explicar melhor a presença do mal no universo , bem como forças opostas. Por outro lado, o monoteísmo pode explicar melhor a origem de todas as coisas, que é uma e a mesma: Deus.

Diferenças com panteísmo

O panteísmo dá à natureza um caráter divino.

O monoteísmo representa uma versão religiosa mais moderna do que o panteísmo, pois realiza o culto de forma mais abstrata , sem a necessidade de vinculá-lo à natureza. Onde o panteísmo dá caráter divino à natureza, o monoteísmo vê a vontade do deus único e total, de modo que eles podem ter muitas semelhanças em sua maneira de compreender o universo.

Leave a Reply